Tipos de software: quais as suas diferenças e funcionalidades?

Tipos de software: quais as suas diferenças e funcionalidades?

Tipos de software: quais as suas diferenças e funcionalidades?
 

Os códigos estão em tudo e têm múltiplas finalidades, sendo muito importante conhecer os diferentes tipos de software e suas peculiaridades. Continue com a gente neste artigo e saiba mais!

 

Tempo de Leitura: 4 minutos

Os programas fazem parte de nossas vidas, eles migraram dos computadores e podem ser encontrados em praticamente qualquer lugar. Estão presentes nas aplicações das assistentes pessoais e até nas chaves eletronicamente codificadas.

Diferentes dispositivos vêm se tornando inteligentes, justamente indicando que estamos na era conhecida como “A internet das coisas”. Trata-se de mais passo da evolução tecnológica, no qual aparelhos como TVs, óculos e geladeiras estejam conectados e necessitem de outros tipos de programas.

Devido a esta variação de ambientes e objetivos, é natural que existam classificações para os vários tipos de software. Essa diferenciação é necessária para facilitar tanto a vida dos desenvolvedores, como dos usuários finais.

Os códigos estão em tudo e têm múltiplas finalidades, sendo muito importante conhecer os diferentes tipos de software e suas peculiaridades. Continue com a gente neste artigo e saiba mais!

Conheça a Casa do Desenvolvedor

Como funcionam os tipos de software?

As funcionalidades dos códigos são inúmeras e as possibilidades de classificá-los também. Podemos denominar, por exemplo, uma aplicação de forma genérica, dividindo-as em: 

  • Software de base – Código que serve como base para a operação de outros softwares “Sistemas Operacionais”;
  • Software de Aplicativo – São códigos com funções específicas e que visam atender as necessidades dos usuários finais.

Podemos aprimorar este filtro e fazer uma classificação mais detalhada, este tipo de separação é mais interessante para os desenvolvedores que a anterior, pois desta forma, é possível associar melhor a finalidade comercial do código.

Neste caso, podemos dividir os exemplos de software em: 

  • Software de base: sistemas operacionais;
  • Software de aplicativo: aplicações para atender os usuários finais;
  • Software cliente-servidor: aplicação para ser utilizado por uma rede ou um servidor.

Enfim, existem várias maneiras de utilizar e classificar os tipos de software. Deve-se levar em conta, inclusive, a linguagem de programação, pois ela também é um código, não é verdade?

Até mesmo a linguagem de programação possui divisões, podendo ser denominada como linguagem de baixo e alto nível. A primeira é a linguagem que mais se aproxima da forma de comunicação entre as máquinas, os (0 e 1), a segunda utiliza linguagem que já pode ser interpretada pelos desenvolvedores.

Estas são apenas algumas maneiras de observar e analisar os tipos de códigos e suas distinções, vamos agora esmiuçar ainda mais os exemplos de software e como classificá-los.

 Tipos de software e o seu objetivo?

Quanto ao seu objetivo, um software pode ser classificado de três maneiras:

Software aplicativo 

São aplicações projetadas para resolver problemas específicos dos usuários.

Software de programação 

São ferramentas pelas quais os desenvolvedores programam novas aplicações e softwares, utilizando uma linguagem de programação específica.

Software de sistema 

São conjuntos de outros softwares que têm a finalidade de ofertar serviços e funções para outros programas.

Tipos de código e formato de softwares

Os softwares também podem ser distintos pelos seus formatos e distribuição, são eles:

Código aberto 

Um software de código aberto é aquele que é de fácil acesso e que um desenvolvedor pode fazer alteração em seu código-fonte, além de poder distribuir esta nova “versão” do software, desde de que o programador respeite as licenças daquela aplicação. Este tipo de software é conhecido também como open source.

Código fechado 

Também conhecidos como closed source, são aqueles em que, ao contrário do código aberto, as alterações e distribuição do programa são proibidas.

Software livre 

Este tipo de código refere-se aqueles que podem ser executados, copiados, distribuídos e modificados livremente. Isto não significa que a aplicação foi gratuita, é possível ter comprado sua cópia, ou tê-la adquirido gratuitamente, com os mesmos benefícios.

Software proprietário 

Este é um exemplo de software no qual é possível utilizar, modificar e distribuir o código, desde que o usuário tenha comprado uma licença e solicitado permissão para distribuir e modificar o código-fonte.

Software freeware 

É um tipo de programa que é oferecido gratuitamente, sendo permitida a instalação e execução do software sem restrição. Em alguns casos, o mesmo software possui a versão gratuita (freeware) e a versão paga (premium).

Principais licenças de softwares livre e código abertos

Outra maneira de categorizar os softwares é pelo tipo de licença, vejamos como podemos distingui-los:

GNU LGPLv3 

Essa aplicação tem as seguintes permissões (uso comercial, modificação, distribuição, uso de patente e uso privado), desde que sejam respeitados alguns pontos como: divulgação da fonte, licença e aviso de direitos autorais, documentação no caso de alteração da licença.

GNU AGPLv3 

Modalidade de licença autoriza (uso comercial, modificação, distribuição, uso de patente e uso privado), e tem as seguintes condições de uso: divulgar a fonte, distribuição para usuários da rede, licença e aviso de direitos autorais, documentação no caso de alteração da licença.

GNU GPLv3 

Esse modelo já permite (uso comercial, modificação, distribuição, uso de patente e uso privado), desde que: divulgação da fonte, licença e aviso de direitos autorais, documentação no caso de alteração da licença.

Mozilla Public License 2.0 

Este tipo de licença tem menos condições para poder ser utilizado, sendo exigido apenas: divulgação da fonte, licença e aviso de direitos autorais. A mesma licença “biblioteca”, pode ser utilizada como (uso comercial, modificação, distribuição, uso de patente, ou uso privado).

MIT License 

Essa modalidade pode ser utilizada da mesma forma que a anterior, mas precisa que apenas seja contemplada a licença e os direitos autorais.

Estes são apenas alguns exemplos de licenciamentos de softwares. E como desenvolvedor, ou gestor de uma software house, é muito importante entender as denominações e exigências de cada uma delas. 

Quer saber mais sobre os tipos de software e o mundo do desenvolvimento? 

Agora você já conhece vários exemplos de software e pode escolher a melhor opção para o seu produto.

A modernidade avança a passos largos e logo surgirão novos tipos de software para contemplar novas tecnologias que vão resolver as dores dos usuários. 

Como gestores ou desenvolvedores precisamos ficar atentos às novidades e um jeito muito eficaz é acompanhar o nosso blog e participar ativamente do processo da evolução tecnológica.

Casa do Desenvolvedor
Casa do Desenvolvedor
Somos a Casa do Desenvolvedor, uma comunidade que tem como propósito, fortalecer o desenvolvimento de software no Brasil. Faça parte você também dessa comunidade!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.