Tendências da Metodologia Ágil: O Futuro do Desenvolvimento

Tendências da Metodologia Ágil: O Futuro do Desenvolvimento de Software

Mulher escrevendo em um quadro com anotações, papéis e post-its em volta.

Descubra as tendências da metodologia ágil e seu impacto no futuro do desenvolvimento de software. Agilidade e inovação em destaque!

Tempo de Leitura: 7 minutos

 

Nos últimos anos, houveram várias mudanças no meio do desenvolvimento de software. Os sistemas que antes eram criados a partir de metodologias mais tradicionais e pouco flexíveis, como o Modelo Cascata, acabaram dando espaço para novas abordagens mais experimentais e flexíveis, conhecidas como metodologias ágeis. As tendências da metodologia ágil vêm transformando a forma como os times de desenvolvimento enfrentam os desafios, promovendo uma entrega contínua de valor, adaptação às mudanças e maior colaboração entre equipes.

As novas metodologias denominadas ágeis, surgiram como respostas a diversos desafios enfrentados pelos times de desenvolvimento durante a criação dos sistemas. Nesse artigo, vamos abordar sobre as tendências das metodologias ágeis e o que elas reservam para o futuro para o desenvolvimento de software.

Conheça nosso manifesto

O que são metodologias ágeis?

As metodologias ágeis são abordagens de desenvolvimento de software que enfatizam características como a entrega contínua de valor, a adaptação às mudanças e a colaboração entre equipes multidisciplinares. O Manifesto Ágil, publicado em 2001, definiu os princípios fundamentais das metodologias ágeis, colocando o foco nas pessoas, na comunicação, no software funcional e na resposta flexível às mudanças.

Antes do surgimento das metodologias ágeis, o Modelo Cascata era amplamente utilizado no desenvolvimento de software. No entanto, esse modelo apresentava algumas limitações significativas, como a falta de flexibilidade para lidar com mudanças nos requisitos do cliente e a dificuldade de adaptação a ambientes de desenvolvimento dinâmicos.

Principais Metodologias Ágeis Mais Usadas para o Desenvolvimento de Software

Inúmeros frameworks ágeis foram estruturados ao longo dos anos, cada uma com suas próprias características, cerimônias e práticas. Porém, sabemos que a determinação de qual metodologia utilizar, depende de fatores como objetivos, cultura da empresa, orçamento, tamanho da equipe, processos existentes, etc. Existem várias opções amplamente utilizadas na área de desenvolvimento de software, que podem atender essas necessidades.

SCRUM

O Scrum é uma metodologia ágil utilizada no desenvolvimento de projetos complexos. O framework foi criado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland no início dos anos 90. O Scrum se baseia em princípios ágeis, que priorizam a entrega rápida e contínua de valor, adaptabilidade e colaboração entre equipes. Por isso, é uma metodologia muito adotada na área de software.

Segundo a pesquisa State of Agile Report, realizada em 2023 pela da Digital.ai, o Scrum é a metodologia ágil mais popular entre os times de desenvolvimento, aproximadamente 63% das organizações. Essa popularidade ocorre devido à sua capacidade de melhorar a eficiência, adaptabilidade e qualidade no desenvolvimento de software. Sua abordagem permite que as equipes entreguem valor de forma contínua, e respondam rapidamente às mudanças, por seus ciclos de entrega curtos (sprints), reuniões diárias (daily), revisões (Review), retrospectivas e reuniões de planejamento (plannings).

Além disso, o Scrum possui uma comunidade ativa, com estrutura adaptada para ser incorporada às plataformas de gestão mais atuais, que contribui para que esse framework siga sendo uma escolha popular para o desenvolvimento ágil de software no futuro.

KANBAN

O Kanban é um sistema visual de gestão de trabalho, considerado uma metodologia ágil por por causa de sua flexibilidade, transparência, limitação de trabalho em progresso, e melhoria contínua. Essas características permitem que as equipes respondam rapidamente às mudanças, entreguem valor de maneira contínua, alinhando-se perfeitamente aos princípios ágeis.

O Kanban tem como foco melhorar a eficiência e a produtividade das equipes, a partir do uso de artifícios visuais para a realizar a gestão do fluxo de trabalho. O método consiste em representar as tarefas com cartões e colocá-las em um quadro (físico ou digital),  com colunas que indicam os diferentes estágios do processo de trabalho, como "A Fazer", "Em Progresso" e "Concluído". 

Esse método teve origem na Toyota, no início de 1940, introduzido pelo engenheiro Taiichi Ohno, com o objetivo de otimizar a produtividade da fábrica e reduzir os desperdícios. Até os dias de hoje o Kanban é amplamente utilizado, sendo o segundo método ágil mais utilizado, depois do Scrum. Inclusive, muitas equipes mesclam esses métodos criando o famoso “Scrumban”, adequando o melhor dos dois mundos às suas necessidades.

Sua simplicidade de implementação, versatilidade e foco na melhoria contínua o tornam uma escolha popular para equipes e organizações que buscam otimizar seus processos e entregar valor de maneira rápida e consistente. Por isso, esse método se consolidou não só na área de software, mas em diversas outras áreas de negócios que precisam de gestão.

EXTREME PROGRAMMING (XP)

O Extreme Programming (XP) é uma metodologia ágil de desenvolvimento de software que se concentra na qualidade do código e na melhoria contínua do processo de desenvolvimento. Em equipes que buscam a melhoria contínua mais focada no desenvolvimento, é a prática ágil que as equipes mais adotam.

Essa metodologia ágil se concentra em práticas que promovem uma alta frequência de lançamentos de software e colaboração intensa. Os principais elementos utilizados são: testes automatizados, pair programming e desenvolvimento orientado a testes (TDD),  visando garantir uma entrega de software de alta qualidade.

Introduzida por Kent Beck, o XP se baseia em cinco valores fundamentais: Comunicação, Simplicidade, Feedback, Coragem e Respeito. Esses valores estão enraizados nas práticas do XP, por exemplo, quando os testes são bem escritos, eles fornecerão feedbacks com sucesso, dando às equipes a coragem necessária para refatorar e tornar o código sustentável e legível. 

O XP também divide o trabalho em ciclos curtos, com entregas incrementais frequentes, permitindo ajustes rápidos baseados em feedback contínuo. Sua popularidade é altamente justificável, considerando o dinamismo do mercado para quem trabalha com requisitos de software e a exigência por sistemas com funcionamento de qualidade.

SCALED AGILE FRAMEWORK (SAFe)

O Scaled Agile Framework (SAFe) é um conjunto de padrões organizacionais e de fluxo de trabalho projetado para ajudar grandes organizações a aplicar os princípios ágeis em escala, e alinhar várias equipes em torno dos objetivos estratégicos da empresa. Isso é possível, devido a organização dos times ágeis múltiplos níveis, desde equipes até portfólios. Cada nível desempenha um papel específico, com seu próprio foco, conjunto de práticas, definição de papéis e acompanhamento do progresso, que juntos garantem a entrega de valor e a adaptação contínua às mudanças do mercado

O SAFe combina práticas de metodologias ágeis como Scrum, Kanban e Lean. Por isso, também possui seus artefatos e cadências, promovendo ciclos curtos e regulares de planejamento e execução (Program Increments), permitindo que todas as equipes entendam as prioridades e dependências, garantindo entregas regulares e incrementais de valor. Além de Incentivar a colaboração estreita entre as equipes e stakeholders, com eventos regulares e práticas que promovem a transparência e a comunicação contínua.

Existe uma crescente demanda das empresas em relação a adoção de metodologias ágeis. Entretanto, para grandes organizações a missão de escalar um framework de forma eficientemente não é tão simples. Segundo o relatório Agile Annual Report 2022, cerca de 53% das grandes empresas adotaram o SAFe como opção ágil para coordenar múltiplas equipes, pela sua facilidade na integração de práticas ágeis em toda a organização.

Conheça o TecnoKanban

Agile é uma mentalidade. Sabemos que existem muitos métodos ágeis, como já citados neste artigo, porém, antes de decidir seu modelo de trabalho, é importante ter a visão clara dos seus objetivos, metas, cultura e perfil organizacional, antes de decidir qual é a metodologia mais compatível. Em alguns casos, dependendo da sua realidade, será mais produtivo personalizar a sua própria metodologia, com base em uma predominante, como é o caso da TecnoSpeed.

A TecnoSpeed, que respira inovação, criou sua própria metodologia ágil, o premiado TecnoKanban. Uma metodologia inovadora com base no Kanban, desenvolvida a partir de estudos e experimentações, que ganhou destaque este ano no Prêmio Agilidade Brasil, do Agile Trends.

Essa metodologia foi desenvolvida pelo agilista da TecnoSpeed, Fabiano Passionoto, que criou um processo otimizado visando reduzir o tempo de execução das tarefas, e aumentar o tempo disponível para treinamentos e desenvolvimento profissional. Essa abordagem levou a um aumento de até 20% na performance das equipes e a uma redução de 10% no tempo de desenvolvimento, representando um avanço significativo na entrega de soluções de qualidade aos clientes.

O que considerar ao escolher uma metodologia ágil

Os principais pontos a serem considerados ao selecionar uma metodologia incluem orçamento, tamanho da equipe e processos existentes. Você também deve examinar as necessidades de documentação e avaliar o software e as ferramentas disponíveis.

Layton aconselha: “As equipes devem observar o nível de complicação social e técnica associada à iniciativa. Se você tem algo social e tecnicamente simples, com partes interessadas que sabem o que querem e que os requisitos exatos não vão mudar, e você já fez projetos semelhantes um milhão de vezes, use a abordagem que desejar. À medida que você avança nas complicações sociais ou técnicas, o Agile é o ponto ideal. Quanto maior e mais complexo for, mais apropriado será o Agile para isso.”

O Futuro do Desenvolvimento de Software Ágil

Diversas tecnologias emergentes que ganharam espaço nos últimos anos, também vem impactando as tendências para o desenvolvimento de software ágil. Inovações na área de automação, inteligência artificial e serviços se destacam e geram novas possibilidades interessantes para as Software Houses.

A Inteligência Artificial (IA), por exemplo, segue revolucionando com ferramentas que podem ser integradas a diversos momentos do ciclo de desenvolvimento, desde o discovery até a sustentabilidade da solução. Além disso, a IA também pode ser utilizada para automatizar tarefas repetitivas, testes de software e análise de código para identificar vulnerabilidades e sugerir correções. 

A gestão dos projetos também está se beneficiando bastante com a IA. Permitindo utilizar ferramentas que ajudam a prever prazos de entrega e identificar possíveis gargalos no fluxo de trabalho. Com isso, o gestor consegue realizar tomadas de decisões de forma mais rápida e eficiente, que integrado às metodologias ágeis, permite maior agilidade e flexibilidade para planejar e realizar entregas de maior valor ao usuário final. 

Estudos realizados em 2023 pela McKinsey & Company, indicaram que 60% das empresas entrevistadas já incorporaram o uso da IA em suas operações, e 28% dizem que a utilização da IA já está na agenda do seu conselho.

Além da IA, o uso da nuvem, contêineres e orquestração também torna o desenvolvimento mais ágil, permitindo a criação de ambientes de desenvolvimento consistentes e escaláveis. Isso melhora a portabilidade do software e facilita o gerenciamento de aplicativos em diferentes ambientes.

O DevOps também segue fornecendo a integração contínua (CI) e a entrega contínua (CD), que são elementos essenciais para o desenvolvimento ágil, pois promove a colaboração entre equipes de desenvolvimento e operações, a resposta rápida às mudanças.

Tendências ágeis e o Mercado

Antigamente, as empresas investem muito esforço e recursos para realizar uma entrega que poderia, ou não, dar certo. Entretanto, devido o manifesto ágil e a grande disseminação de seus conceitos, cada vez mais as empresas reconhecem a importância do uso das práticas ágeis, permitindo que as equipes experimentem, aprendam com os erros e adaptem-se rapidamente às mudanças necessárias para atender os clientes e as condições do mercado.

Com o grande aumento da concorrência em todos os setores, as empresas estão cada vez mais focadas em oferecer uma boa experiência para os usuários de seus produtos e sistemas. A combinação do design thinking com o desenvolvimento ágil, é uma poderosa arma para ajudar as equipes a entender o que os usuários realmente precisam e a trabalhar com mais eficiência, aproximando desenvolvedores e usuários. 

O uso de análise de dados, Business Intelligence, pesquisas e feedbacks também agrega bastante ao desenvolvimento ágil, pois disponibilizam recursos inestimáveis que podem ser estudados e utilizados para tomadas de decisões e predições importantes para o produto. 

Outras empresas de outras áreas também vem aplicando metodologias ágeis em áreas como marketing, vendas e gestão de projetos para planejar e executar suas atividades de forma mais eficaz. Ao adotar práticas como sprints, retrospectivas e colaboração multidisciplinar, as equipes podem responder rapidamente às mudanças nas tendências do mercado, ajustar estratégias com base em feedback em tempo real e lançar campanhas, ou realizar ações mais relevantes e direcionadas.

Da mesma forma, as equipes de vendas também podem se beneficiar da abordagem ágil para prospectar, qualificar leads e fechar negócios em ações e campanhas de ciclos mais curtos, maior alinhamento com as necessidades dos clientes e uma abordagem mais orientada a resultados.

A adaptação é uma característica importante para as empresas que desejam se manter competitivas. O uso de metodologias ágeis ajudam nessa adaptação, dando diretrizes para que a flexibilidade seja incorporada na rotina da empresa. Lembre-se disso para se manter preparado para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades no mercado que vive em constante evolução.

Agatha Botelho
Agatha Botelho
Coordenadora de Novos Produtos na TecnoSpeed, apaixonada por tecnologia e inovação. Sou especialista em gestão de projetos e metodologias ágeis. Minha abordagem de liderança é focada na motivação de equipes, experiência do usuário e análise de dados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pular para o conteúdo