Inovação Aberta: tudo o que você precisa saber!

Inovação Aberta: tudo o que você precisa saber!

Você sabe o que é Inovação Aberta? Confira neste artigo o conceito, funcionamento, tipos e vantagens desse modelo que está cada vez mais presente no mercado da inovação!

Tempo de Leitura: 4 minutos

Considerada um modelo ainda recente no mercado, a Inovação Aberta passou a ser implementada dentro das empresas como uma forma mais atrativa de realizar o processo de inovação e desenvolver novos produtos e/ou soluções. Isso porque, com a Inovação Aberta é possível reduzir custos, otimizar tempo, minimizar riscos, criar novos mercados, agregar mais valor à marca, estimular o networking, entre outras vantagens. 

Durante um bom tempo, as empresas adotavam um modelo de inovação fechada, em que a empresa detinha 100% da propriedade intelectual do projeto e desenvolvia todas as etapas do ciclo de inovação. No entanto, de um tempo pra cá, as empresas começaram a perceber que esse modelo já não era mais tão eficiente, passando então a praticar a Inovação Aberta, onde as empresas inserem outros atores, como startups, universidades e centro de pesquisas, dentro do processo de inovação.

Continue acompanhando este artigo e fique por dentro de tudo o que você precisa saber sobre Inovação Aberta. Aqui você vai entender como ela funciona, os tipos, os benefícios, como implementá-la e muito mais. Confira!

Conheça a Casa do Desenvolvedor

O que é Inovação Aberta e como funciona?

O conceito de Inovação Aberta apareceu pela primeira vez em 2003, no livro "Open Innovation", quando o autor Henry Chesbrough, destacou que nenhuma empresa, por maior que seja, poderia inovar de forma eficaz por conta própria e que o conhecimento útil está amplamente distribuído. 

Sendo assim, faz-se necessário para desenvolver um projeto de inovação efetivo, contar com partes externas à organização, como clientes, fornecedores, institutos de pesquisa, órgãos públicos, startups e outras empresas. Isso deve acontecer porque hoje vivemos em um mundo globalizado, onde a informação está cada vez mais democratizada entre todos os participantes do mercado. 

As organizações costumam implantar práticas de inovação aberta de diferentes maneiras. Entre elas podem estar: alianças entre empresas, parcerias que promovem pesquisas em universidades, competições de crowdsourcing e a presença em ecossistemas de inovação.

Mas, é fundamental ressaltar que, de acordo com Chesbrough, é o objetivo do seu modelo de negócios que vai determinar qual informação sua empresa vai buscar, qual vai deixar sair da empresa e quais agentes externos vai procurar.

Tipos de Inovação Aberta

A Open Innovation pode ser dividida em três diferentes tipos. São eles: inbound, outbound e coupled. Para entender melhor cada um deles, confira as definições abaixo:

Inbound

A inovação inbound consiste na busca e integração do conhecimento externo visando melhorar a tecnologia interna. Acontece quando uma empresa se apropria de uma ideia inovadora criada por outras organizações, incluindo-a dentro do seu próprio processo de inovação, de forma a gerar valor em suas soluções, tornando-se competitiva e satisfazendo os clientes.

Outbound

Já na inovação outbound, as ideias e o conhecimento tecnológico da empresa são transferidos para outras corporações. Nesse caso, a empresa desenvolve um ativo derivado do seu processo de inovação e o disponibiliza para atores externos, com o objetivo de desenvolvê-lo e/ou comercializá-lo.

Alguns exemplos são: concessão de licenças, venda de patentes e multiplicação de tecnologia através do direcionamento de ideias para o mercado externo de TI.

Coupled

Por fim, a inovação coupled é resultado da aplicação de atividades de inovação inbound e outbound pela mesma empresa. Ou seja, ao mesmo tempo em que a organização procura novas ideias e informações do mercado para seu processo, ela também desenvolve e comercializa inovação para corporações externas.

4 vantagens de apostar na Inovação Aberta 

No início do artigo citamos alguns benefícios que a Inovação Aberta proporciona para as empresas. Mas, agora vamos detalhar 4 deles. Confira a seguir as vantagens de adotar o modelo de Inovação Aberta:

1. Reduz tempo e custo

Enquanto no modelo de Inovação Fechada, é necessário formar uma equipe qualificada de Pesquisa e Desenvolvimento que demanda custos elevados com salários, equipamentos e espaços, na Inovação Aberta isso não acontece. 

Já que através dela, é possível contar com uma ampla rede de parceiros de forma colaborativa com custos baixos e até nulos em alguns casos. Além disso, a grande quantidade de profissionais e organizações envolvidas acelera muito o processo, otimizando tempo. 

2. Reduz riscos 

A Inovação Aberta garante uma visão muito mais completa do mercado e uma coleta de dados mais confiáveis. Além de contar com a visão e experiência de agentes externos. Dessa forma, a aceitação do mercado aumenta e os riscos diminuem.

3. Maior retorno financeiro

Os fatores citados acima contribuem diretamente para aumentar o retorno sobre investimento (ROI) do seu negócio. Isso porque, a redução de riscos, a agilidade da inovação e a diminuição dos custos geram maior potencial de receita. 

4. Promove Networking 

A prática da Inovação Aberta amplia seu networking, uma vez que possibilita a troca com profissionais de outras áreas, empresas, universidades, órgãos públicos, entre outros.  

Saiba mais sobre a Inovação Aberta

Se você chegou até aqui, imagino que tenha conseguido aprender um pouco mais sobre Inovação Aberta com esse artigo.

Mas, que tal aprofundar ainda mais o conhecimento e conferir como a TecnoSpeed pratica a Inovação Aberta? 

Clique no botão abaixo para garantir seu acesso gratuito ao lançamento da 17ª edição da nossa Revista TecnoUpdate com o tema Inovação Aberta. 

Gabriela Grillo
Gabriela Grillo
Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo. Assistente de Marketing da TecnoSpeed.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.