Comunicação: A arte de todas as esferas da vida.

Comunicação: A arte de todas as esferas da vida.

Comunicação: A arte de todas as esferas da vida
 

Você que é da área de desenvolvimento de software, você comunica algo ao mundo com o seu trabalho e sabe a importância disso? Continue a leitura!

 

Tempo de Leitura: 6 minutos

Você que é da área de desenvolvimento de software, você comunica algo ao mundo com o seu trabalho. Quem é da área de marketing, psicologia, matemática, ciências, agronomia ou outra área, comunica algo ao mundo também. A comunicação está em todos e em tudo. Quer saber o que significa Comunicação? Então vem comigo!

Conheça a Casa do Desenvolvedor

O que é Comunicação?

Tudo começa pela comunicação, a totalidade do que comunicamos é gerado em nós pensamentos, sentimentos, memórias e crenças. “As vibrações das forças da mente são as mais exímias e poderosas que existem” (CHARLES HAANEL, 1916), logo, se todos soubéssemos o poder de nossos pensamentos, certamente a comunicação adotada por nós seria mais consciente e cautelosa.

Eu comunico o que eu sou, aquilo que eu acredito e vivencio,  a comunicação, assim como nosso comportamento é apenas a ponta do iceberg frente a tudo o que há dentro de nós. Comunicamos as nossas dores, incertezas, felicidades e alegrias através de nossos comportamentos e atitudes.

A comunicação e o comportamento andam juntos, não há como separar um do outro, estão totalmente interligados e interconectados.

Ela é a arte de entrarmos no mundo de alguém, seja através de forma verbal ou não verbal. Temos a possibilidade de fazermos com que através da nossa comunicação, possamos causar os melhores ou piores sentimentos, ou sensações em alguém. 

Através da comunicação um campo é aberto e neste campo existe um mundo de possibilidades e aprendizagens se eu estiver disposto e desperto a aprender. Dentro deste mundo da comunicação, existe uma palavra chamada Rapport.

O que Rapport na Comunicação?

De origem francesa, que significa criar relação ou trazer de volta, originada pela psicologia. É uma técnica de criar uma ligação de empatia com outra pessoa, para que se comunique com menos resistência.

É a maneira de se conectar com o outro de forma verdadeira, genuína, com confiança, harmonia, interesse e cooperação na relação.

Não existe rapport, quando só existe interesse de um único lado, o rapport é uma conexão que é estabelecida em via de mão dupla, é basicamente a capacidade de ir totalmente do seu mapa de mundo para o mapa de mundo de alguém, essa é a essência da comunicação bem sucedida. 

Os principais elementos do rapport são: 

  • Sempre use o nome da pessoa em uma conversa, traz proximidade e intimidade;
  • O sorriso é um sinal de acolhimento; otimismo transmite confiança e sensação de poder; 
  • Paciência: saiba ouvir, quando alguém fala, é porque quer ser escutado e sua atenção deve estar totalmente disponível para a pessoa.

Sensações na Comunicação: 

Já parou para se perguntar, qual a sensação você causa nas pessoas? Já se perguntou se você pratica ao menos um elemento do rapport em sua comunicação com alguém? Como é seu contato visual com quem está conversando? Sua expressão facial? Postura corporal? Equilíbrio emocional? tom da sua voz? sua comunicação não verbal (gestos). 

A questão é, nós nos comunicamos o tempo todo! E para entendermos um pouco melhor sobre esta arte, é preciso saber que existem um sistema de crenças, valores e comportamentos que antecedem a comunicação. Você pode perguntar, por que crença? 

Porque as pessoas respondem de acordo com seu próprio mapa de mundo, de acordo com seus valores pessoais construídos no decorrer da vida, suas  experiências, hábitos, costumes, aquilo que acredita, os comportamentos e por último comunica isso ao mundo.

Muitas vezes, os conflitos são gerados, não somente por falhar na comunicação, mas é por não entendermos que não podemos cobrar que o outro tenha a mesma resposta que a nossa, porque os mapas mentais são diferentes, é necessário, entrarmos no mapa mental dele, olhar pela perspectiva dele, para podermos ajudar. Se você consegue entrar no mapa de mundo de alguém, tem a sensibilidade de ver o que elas veem e saber o que elas sentem, querem e precisam.

Estamos sempre nos comunicando!

Já pararam para pensar, que quando não acordam tão bem qual roupa escolhem para vestir? Certamente a primeira que vê a sua frente ou cores que indicam o seu desprazer e insatisfação. Nossa vestimenta fala por nós em dias tenebrosos, assim como fala em dias de felicidade e satisfação. A vestimenta é apenas a externalização de como estamos por dentro e de alguma forma comunicamos isso através das nossas roupas.

A postura que você tem diante do mundo, fala sobre você. A forma com que caminha, arqueado ou ereto, diz sobre sua segurança e autoestima, a forma com que se apresenta às pessoas, o olhar, o sorriso, o timbre da sua voz, os seus questionamentos frente a uma conversa ou debate, diz muito sobre quem você é e o que está comunicando.

Os meus valores e meu sistema de crenças ( o que acredito ou não) comunica através dos meus comportamentos o que mais valorizo e o que não é tão importante assim para mim.

Trago alguns exemplos simplórios de comunicações não assertivas, que são vistos com frequência em nosso dia a dia.

  • Mexer no celular, quando alguém está nos contando algo. Estamos comunicando a ela, que o que ela nos conta, não é tão importante assim, então eu posso dividir a minha atenção entre ela e o celular. 
  • Quando não olha nos olhos de alguém que conversa, está comunicando algo, pode ser timidez, medo, insegurança, mentira, ou apenas receio, mas de qualquer forma, comunica algo.
  • Quando interrompemos alguém e não conseguimos escutar ativamente, comunicamos que a nossa fala é mais importante que a do outro e que talvez não tenhamos nada a aprender com ele.
  • Quando fazemos piadas ou corrigimos alguém perto dos outros, comunicamos intimidade, deselegância ou sobreposição.

Comunicação Estruturada em cinco Cs: 

Dito isso, uma comunicação verbal bem estruturada, está pautada em cinco Cs: Clareza, convicção, comportamento, congruência e confiança.

Clareza:

A clareza é o seu autoconhecimento, é saber quem é você, conhecer suas crenças, seus valores inegociáveis de vida, sua missão e propósito, o que deseja realizar e porque quer realizar. É a busca pelo contato consigo mesmo, uma comunicação reta e direta de quem sou eu. Quando se há clareza, eu me permito saber os meus pontos mais fortes, como os mais fracos.

Convicção:

É a forma que você se comunica e fala com poder e propriedade, traz credibilidade e transmite segurança a sua fala, a forma que você acredita e como você se vê, reflete diretamente em como você se comunica.

Comportamento:

Autorresponsabilidade, autoconfiança e autoestima refletem diretamente no comportamento. Antes mesmo de eu falar, eu já estou comunicando, através das minhas roupas, das minhas expressões faciais, minha linguagem não verbal e das impressões que eu deixo.

Congruência:

O meu comportamento e minha comunicação é congruente, correspondente com a minha personalidade, com o que acredito ser o correto e principalmente com os meus valores que são inegociáveis? Se sim, tenho congruência com o que é pensado e falado.

Confiança:

Quanto vale uma palavra? Uma promessa? A palavra e a atitude andam de mãos dadas com a confiança. É através delas que estreitamos relacionamentos, fechamos grandes negócios e podemos manter uma amizade por longos anos. A confiança é a base sólida da comunicação, nos comunicamos melhor com quem confiamos.

Esses cinco Cs da comunicação colocados em prática, nos permite maior assertividade, sabedoria e principalmente melhores resultados na arte de se comunicar. Nos traz segurança, porque sabemos que estaremos respaldados por cinco palavras grandiosas que fazem da comunicação uma comunicação poderosa e cheia de brilhantismo.

Segundo Robbins (2019), tudo que fazemos é resultado de nossas convicções, nos movemos no caminho do que nos trará prazer e tentamos nos afastar daquilo que nos trará dor ou sofrimento.

Ou seja, tudo que vivenciou, seja por repetição ou por uma experiência de forte impacto emocional, e como você associou dor e prazer, esses acontecimentos mudaram seu sistema de crenças e isso rege a sua vida através de comportamentos, resultados e sua comunicação com todos a sua volta.

Quando você não se comunica, ou deixa de passar seu conhecimento por medo, vergonha ou falta de preparo, você deixa de fazer algo grandioso a alguém. Se o mundo não sabe o que você faz de melhor, como espera ser desejado, promovido e reconhecido?

Os 7 jejuns necessários da Comunicação e Comportamento:

Segundo a Karina Benhossi (2021) existem 7 Jejuns necessários para realizarmos relacionados a comunicação e comportamentos:

  1. Devemos trocar o julgamento e imposição por compreensão e escuta ativa;
  2. Grosseria, estupidez e vitimismo por empatia, colaboração e protagonismo.
  3. Mentira e falta de compromisso por verdade e comprometimento na palavra;
  4. Pessimismo, negatividade e desculpas por otimismo, positividade e autorresponsabilidade;
  5. Egoísmo e ignorância por altruísmo e sabedoria.
  6. Menos preguiça e falta de ação por energia e entusiasmo na fala e no comportamento;
  7. Tristeza provocada aos outros por felicidade provocada aos outros.

A importância de substituir na prática a primeira coluna pela segunda coluna, nos traz melhores e maiores resultados em nossa comunicação.

Para concluirmos, encerro com um pensamento da Mariane Williamson no livro A Return To Love de 1992: 

“Nosso maior medo não é sermos inadequados. Nosso maior medo é não saber que nós somos poderosos, além do que podemos imaginar. É a nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos assusta. Nós nos perguntamos: ‘Quem sou eu para ser brilhante, lindo, talentoso, fabuloso?’.
Na verdade, quem é você para não ser? Você é um filho de Deus. Você, pensando pequeno, não ajuda o mundo. Não há nenhuma bondade em você se diminuir, recuar para que os outros não se sintam inseguros ao seu redor.
Todos nós fomos feitos para brilhar, como as crianças brilham.
Nós nascemos para manifestar a glória de Deus dentro de nós. Isso não ocorre somente em alguns de nós; mas em todos.
Enquanto permitimos que nossa luz brilhe, nós, inconscientemente, damos permissão a outros para fazerem o mesmo.
Quando nós nos libertamos do nosso próprio medo, nossa presença automaticamente libertará outros.”                              

Então leitor(a), como está a sua comunicação? Deixe sua resposta nos comentários. 

E quer encontrar os profissionais mais qualificados para sua Software House? Divulgue suas oportunidades no nosso portal, acesse agora pelo botão abaixo:

Tainah Bento
Tainah Bento
Analista de Educação Corporativa na TecnoSpeed, graduada em Psicologia há seis anos, com especialidade em Avaliação Psicológica e também em Liderança Estratégica de Pessoas, é uma entusiasta em bem-estar e em trazer um pouco do universo da Psicologia mais perto da rotina de outras pessoas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.