Como conquistar sua carreira na tecnologia?

Como conquistar sua carreira na tecnologia? Guia completo!

Carreira na tecnologia
 

Você já pensou em trilhar uma carreira na área Tech? Vamos te contar tudo sobre as carreiras de tecnologia em alta e o que você precisa saber para entrar nesse universo!

 

Tempo de Leitura: 11 minutos

Neste texto, vamos te informar quais são as carreiras com mais demandas de mercado na área de tecnologia, o que fazem, quais são as possibilidades de carreira e skills necessárias para atuar na área. Veja também dicas valiosas para se candidatar sem medo para as oportunidades. Boa leitura!

Conheça a Casa do Desenvolvedor

Quais as melhores carreiras na área de Tecnologia?

Sabemos que a algum tempo a área de tecnologia tem gerado muitas oportunidades de emprego e tem se mantido em alta, principalmente após a pandemia devido ser uma das áreas com possibilidade de trabalho remoto ou híbrido, o que fez muitas pessoas repensarem seu modo de vida e muitos decidiram se capacitar e migrar de carreira neste período.

Vamos entender em quais áreas de tecnologia é possível atuar, com as TOP 10 que separamos a partir de pesquisa recente realizada pelo Linkedin, confira abaixo:

1- Desenvolvimento de Software

A área de Desenvolvimento de software continua mais aquecido do que nunca, as organizações em todo o mundo buscam profissionais para as mais diversas atuações, como em desenvolvimento front-end, back-end, full-stack, mobile focado na criação de aplicativos, desenvolvimento de jogos, há oportunidades para todos os tipos de projetos, queremos destacar aqui a carreira em back-end que está entre os principais empregos em alta.

O que faz: o Desenvolvedor(a) Back-end atua no desenvolvimento, implementação da regra de negócio, manutenção e organização da estrutura tecnológica das aplicações,  é de sua responsabilidade codificar e criar aplicativos funcionais, buscar melhoria contínua nos processos visando melhorar o tempo de resposta e a eficiência. Realiza correção de bugs,  busca interagir com o banco de dados, faz o gerenciamento de APIs, organiza a lógica do sistema/aplicação dentre outras atividades.

Porta de entrada e Carreira: algumas empresas trabalham com oportunidades de início de carreira DEV como Estágio, Programas de Trainee e Junior, depois pode evoluir conforme plano de carreira de cada empresa, podendo se especializar em alguma área ou atuar na carreira de gestão.

Principais skills solicitadas: flexibilidade, relacionamento interpessoal, comunicação, lógica de programação, banco de dados, conhecimento sobre frameworks, métodos ágeis, familiaridade com linguagens de programação algumas das mais utilizadas são: Javascript, PHP, Python, Ruby, C++ e Node.js entre outras.

2- Engenharia de confiabilidade de sites / Site Reliability Engineer - SRE 

A carreira na área de  Engenharia de Confiabilidade de Site continua ganhando força no meio tech, desde sua criação pelo vice-presidente de engenharia da Google, Ben Treynor Sloss em 2003. Sua atuação é de suma importância, para organizações preocupadas em garantir as melhores práticas de SRE, visando assegurar a rapidez e a confiabilidade de seu projeto, produto ou serviço.

O que faz: o(a) Engenheiro(a) de confiabilidade de sites, é responsável por avaliar e otimizar a confiabilidade de sistemas com ferramentas de probabilidade e estatística, atuando com proatividade antes do problema acontecer. Tem a missão de realizar o diagnóstico e o prognóstico de falhas e desenvolvimento de soluções de automação para aprimorar a usabilidade de uma plataforma.

Porta de entrada e Carreira: pode buscar oportunidades de Analista de DevOps/SRE Júnior, Analista SRE e evoluir até Especialista SRE,  Engenheiro(a) de Aplicações - SRE.

Principais skills solicitadas: organização, resolução de problemas, resiliência, proatividade, conhecimento em linguagens de programação, DevOps, conhecimento em soluções de cloud, tecnologias de contêiners, processos de CI/CD.

3- Ciência de Dados

Muitas empresas preocupadas com as tendências e comportamentos de mercado, têm buscado profissionais na área de ciência de dados, para  o desenvolvimento da melhor estratégia para a sua organização, baseado em análises, identificando as oportunidades de mercado e possíveis falhas operacionais para não pôr em risco os seus negócios. O que faz do(a) Analista de dados, Cientista de dados ou Data Science Specialist um(a) profissional precioso(a).

O que faz: o(a) Analista de dados ou Data Science Specialist, atua na captura, processamento, armazenamento, extração, gerenciamento de informações, interpretando esses dados que vão auxiliar as empresas nas tomadas de decisões.

Porta de entrada e Carreira: oportunidades de estágio são uma ótima chance para quem busca aprender, pode buscar vagas também como assistente de pesquisa, analista de dados, analista de desempenho, analista de validação, engenheiro de dados, Data Science Specialist entre outros. 

Principais skills solicitadas: boa capacidade de análise, comunicação, habilidades para trabalhar com algoritmos, estatísticas, Big Data, Machine Learning, bancos de dados e linguagem de programação como Python, R, Java e C.

4- Recrutamento Tech 

Assim como outras áreas em empresas de tecnologia, a área de Recursos humanos ou Gestão de Pessoas também precisam de especialistas, afinal manter colaboradores treinados, motivados e engajados, um clima saudável, um plano de carreira atrativo, atrair e reter talentos, são grandes desafios para todas as empresas, principalmente no setor de tecnologia. É possível atuar com Cargos e Salários, Treinamento e/ou Educação corporativa, Business Partner, Desenvolvimento Humano e Carreira, Clima e Cultura e Recrutamento Tech que é uma área que ganhou destaque devido aos desafios que as empresas enfrentam na disputa por profissionais de tecnologia.

O que faz: Tech Recruiter ou IT recruiter é o(a) especialista em recrutamento Tech, atua com atração, seleção e contratação de profissionais da área de TI e tem a missão de manter a pessoa candidata engajada na vaga, visto que são profissionais que geralmente não estão disponíveis ao mercado de trabalho, o que significa que precisará ir em busca do profissional por meio de Hunting. É de sua responsabilidade cuidar dos indicadores da área, realizar pesquisas e análise de melhores práticas de mercado, zelar pela experiência do candidato em todas as fases do processo seletivo até se tornar pessoa colaboradora, cuidando também do acompanhamento de jornada deste profissional até sua efetivação.

Porta de entrada e Carreira: com início de carreira em empresas geralmente como Assistente de RH, Analista de Recursos Humanos, Analista de Recrutamento e Seleção, podendo se especializar em recrutamento Tech. Além do CLT, outras possibilidades de contratação seriam no modelo freelancer ou P.J. podendo prestar serviço em Consultorias ou Organizações.

Principais skills solicitadas: flexibilidade, resiliência, proatividade, agilidade, persuasão, visão sistêmica, entrevistas por competência, recrutamento tech, hunting, conhecimento básico em programação, habilidade com o uso de plataformas de recrutamento.

5- Cibersegurança

A preocupação das empresas com relação ao grande número de ameaças cibernéticas e a escassez de profissionais qualificados, tem aumentado a guerra por talentos na área, com possibilidades de atuação bem atrativas como, Administrador(a) de sistemas, Perito(a) forense digital, Engenheiro(a) de segurança cibernética e o(a) Especialista em cibersegurança, profissão que tem sido muito visada.

O que faz: o(a) Especialista em cibersegurança  atua diretamente com defesa cibernética, com a missão de identificar possíveis ameaças nos sistemas, desde comportamentos suspeitos, criptografia de dados, firewalls, bloquear spywares, vírus, hackers até outras ações que envolvem a segurança virtual.

Porta de entrada e Carreira: pode buscar oportunidades de Estágio, Analista de cibersegurança, Analista de segurança da informação, e evoluir até Especialista em cibersegurança.

Principais skills solicitadas: trabalhar em equipe, resiliência, compromisso com os resultados firewall,  metodologias de cyber-forensic e investigação, conhecimento em tráfego de rede, protocolos e serviços de rede e roteamento, segurança de rede através de controles de acesso, especialização em áreas de segurança da informação, cibersegurança, conhecimento em processos de gestão de vulnerabilidades e resposta a incidentes.

6- Pré-vendas

Como tudo na área de tecnologia passa por constantes evoluções, a área comercial não é diferente, hoje podemos contar com diversos tipos de atuação, principalmente voltada para vendas técnicas B2B, hoje os times podem ser formados não só por vendedores, mas também por profissionais voltados para pré-vendas como Lead Development Representative (LDR),  Sales Development Representative (SDR) e a profissão em crescimento no mercado, a Business Development Representative (BDR). 

O que faz: o(a) Business Development Representative ou Representante de desenvolvimento de negócios, vai atuar com outbound marketing, prospecção de vendas, qualificação de leads,  vendas internas, desenvolve e gerência o pipeline/oportunidades, desenvolve e executa estratégias de vendas com o objetivo de acelerar serviços, trabalha colaborativamente com outras áreas correlatas para manter a comunicação, de forma a identificar e executar desenvolvimento de soluções rotineiras, garantindo a melhor experiência para o cliente, realiza o acompanhamento e identificação de oportunidades de mercado, assim como a condução de projetos de lançamento de novos produtos.

Porta de entrada e Carreira: pode buscar oportunidades de Auxiliar de vendas,  Assistente de vendas, Representante de Desenvolvimento de Vendas (SDR),  Vendedor, Técnico de Vendas, Especialista em vendas,  e evoluir até Representante de Desenvolvimento de Negócios (BDR) se desejar ir além poderá atuar em outras especialidades ou cargos de gestão na carreira comercial.

Principais skills solicitadas: empatia, escuta ativa, disciplina, resiliência, boa comunicação oral e escrita, capacidade analítica, habilidades comerciais, conhecimento em CRM, entendimento de processos de outbound sales, conhecimento sobre técnicas de cadências, conhecimento em processo de vendas consultivas,  conhecimento de metodologias de vendas, técnicas de negociação e prospecção.

7- Gestão de Tráfego ou Gestão de Mídia Paga

Na área de Marketing digital há uma ampla gama de possibilidades de atuação, desde atuação generalista à funções mais específicas, vamos à elas: Social Media, Analista de SEO, Produtor(a) de Conteúdo, Designer para mídias sociais, Analista de Métricas entre outras, queremos destacar a profissão de Traffic manager ou Gestor(a) de tráfego. 

O que faz: o(a) Gestor(a) de Tráfego usa dessa estratégia de marketing digital, para  atrair mais visitantes para uma página na internet por meio da veiculação de anúncios. Para isso o(a) profissional terá a missão de realizar planejamento e implementação de ações, fazer a criação e otimização de campanhas de mídia paga, realizar análise e acompanhamento delas na mídia, criação de contas, perfis ou gerenciadores de campanhas para os clientes em diversas ferramentas ou canais. Cuida das métricas e análise de resultados referentes aos desempenhos das campanhas e do seu impacto nas estratégias de marketing das contas.

Porta de entrada e Carreira: Estagiário(a), Assistente de marketing, Analista de Marketing, Analista de tráfego, Gestor(a) de tráfego.

Principais skills solicitadas: capacidade analítica, proatividade, responsabilidade, boa comunicação, resolução de problemas, colaboração, gestão de tráfego, Google Ads, Social Ads, Marketing digital, Inbound Marketing, SEO. 

8- Experiência do Usuário

Há muita demanda de vagas de empregos para funções relacionadas à UX (User Experience), como UX Design, UX Writing, UX Developer, Product Design e uma das carreiras destaque no momento é UX Researcher ou Pesquisador(a) em experiência do usuário. 

O que faz: o(a) pesquisador(a) em experiência do usuário, atua no estudo e pesquisa de padrões de comportamento dos usuários e suas mudanças de consumo. No dia a dia realiza análises por meio de métodos qualitativos e quantitativos, realiza entrevistas, pesquisas estratégicas de mercado, criação e estudo de personas e testes de usabilidade. 

Porta de entrada e Carreira: oportunidades em vários níveis de senioridade, podendo atuar inicialmente como Assistente de UX, Analista de Pesquisa, Analista de Experiência da pessoa usuária, e evoluir até UX Research.

Principais skills solicitadas: colaboração, visão analítica, resolução de problemas, flexibilidade, curiosidade,  teste de usabilidade, experiência do usuário (UX), design thinking, conhecimento em métodos de pesquisa, anotações eficazes, habilidades de design e de escrita.

9- QA (Quality Assurance) ou Garantia de Qualidade

Na área de QA há algumas possibilidades de atuação, como Analista de qualidade, Gerente de garantia de qualidade e uma das carreiras destaque no momento é Engenheiro(a) de QA. 

O que faz: o(a) Engenheiro(a) de QA é responsável por atuar com projeções, criação de cenários, implementações, supervisionar os processos de testes e identificar possíveis desvios que possam comprometer a qualidade final do serviço/produto, fazendo as devidas ações corretivas. Tem a missão de  revisar requisitos de sistema e rastrear métricas de garantia de qualidade. 

Porta de entrada e Carreira: pode iniciar como Estagiário(a), a carreira na área tem vários níveis de senioridade, podendo atuar como Analista de Qualidade, Líder de teste QA, Especialista de QA, Engenheiro(a) QA.

Principais skills solicitadas: habilidades de comunicação e documentação, multitarefa, conhecimento sobre definição de estratégias de qualidade e planejamento de testes, formação em Ciência da Computação, Sistemas de Informação ou Engenharia, conhecimento de sistemas operacionais, conhecimento em ferramentas de rastreamento de erros, banco de dados,  metodologias ágeis, conhecimento em logs, fundamentos da web, conhecimento e aplicação de diferentes níveis de testes, compreensão das principais práticas de teste de software.

10- Gestão ágil de tecnologia

A carreira na área de metodologias ágeis está sendo muito procurada pelas organizações, devido à disseminação da cultura ágil e se faz necessário ter um profissional referência no assunto, para que possa direcionar os processos do negócio de modo que se tornem  mais rápidos e eficientes. Os cargos mais comuns para profissionais especializados em metodologias ágeis são: Scrum Master, Product Owner, Product Manager e a profissão de Instrutor(a) de Agile, Agilista ou Agile Coach que tem ganhado muito destaque.

O que faz: Agile Coach atua na implementação de metodologias ágeis  em diferentes cenários, apoia a organização e aperfeiçoamento de processos de comunicação, bem como, na padronização e metodologias mais flexíveis, além de trabalhar com as equipes para analisar os sistemas e processos atuais e projetar uma estratégia para a adoção de melhores práticas ágeis, possui a missão de promover a mudança cultural defendendo uma mentalidade ágil.

Porta de entrada e Carreira: Product Owner, Scrum Master, Gerente de Projetos, Gerente da Equipe de Produto,  Agile Coach.

Principais skills solicitadas: boa comunicação, organização, conhecimento em Gestão de Projetos, adaptação às mudanças, conhecimento de métodos ágeis com práticas, Kanban, Scrum e na aplicação de técnicas de facilitação e dinâmicas, agilidade de Negócios, conhecimento da aplicação de métricas de fluxo e negócio, conhecimento da filosofia Lean e boa visão técnica.

Como conquistar a vaga tech tão sonhada

Agora que você já conhece um pouco das carreiras, vamos falar de dicas valiosas para conquistar a tão sonhada Vaga Tech!

É preciso mais que determinação, para iniciar uma carreira, é necessário também planejamento, antes de sair correndo para os sites de vagas, considere os seguintes pontos:

Entenda o que faz sentido para você

Pesquise quais são as oportunidades que lhe chamam atenção na área de tecnologia, não só as que melhor pagam, mas aquelas que te fazem brilhar os olhos.

Defina um foco

Já ouvi que o tudo em tecnologia é muita coisa, e tem muita verdade nisso, então precisamos focar no essencial, levante quais são os requisitos necessários para se candidatar à vaga, faça um check-list das competências que você atende e quais lhe faltam, assim você terá um norte para investir de forma assertiva em conhecimentos.

Invista em conhecimento

Sabendo o que precisa estudar com base nas vagas que pesquisou, invista em cursos, formações, tem muito conteúdo na internet, em blogs de tecnologia, comunidades da área, vídeos, workshops, webinars, bootcamps, hackathons, artigos, redes sociais, fóruns, documentação da tecnologia, escolas de formações, etc. Em questão de valores tem para todos os bolsos, desde cursos gratuitos, alguns com baixo custo e até aquelas formações que você só começa a pagar depois que consegue emprego na área.

Reúna o que aprendeu 

Coloque todos os seus melhores projetos e exercícios práticos em um repositório de dados como GitHub ou crie um portfólio dependendo do que for melhor para seus objetivos de carreira, você pode compartilhá-los no seu currículo e até mesmo apresentar em uma entrevista de emprego. 

Faça networking

Fale com pessoas que fizeram migração de carreira ou que iniciaram numa empresa como júnior e conheça as experiências que elas tiveram. O networking pode lhe ajudar a manter  contatos com profissionais da área, não só para trocar ideias, como para fazer parcerias, e ser indicado para oportunidades, portanto, mantenha seus contatos ativos no mercado.

Comece pelo básico

Importante neste momento respeitar seus processos, então comece pelo básico, não é recomendado querer ganhar salário de pleno e sênior sem entender o beabá da nova carreira. É preciso ter humildade para aprender ou reaprender e dar um passo de cada vez para caminhar com firmeza e assim você poder trilhar uma linda trajetória na tão sonhada carreira.

4 itens que não pode faltar no currículo 

  • Experiência profissional: coloque pelo menos as três últimas relevantes por ordem cronológica inversa, da atual ou mais recente para as anteriores. Se você ainda não tem experiência profissional com registro, dedique uma parte do currículo para falar sobre suas experiências informais, habilidades, cases, voluntariado, estágios e projetos que realizou (é legal colocar links do portfólio ou GitHub, se houver). 
  • Formação e/ou cursos complementares: destaque conhecimentos relevantes para a área que deseja atuar, formação, certificações,  ferramentas, programas e software que domina, importante colocar suas habilidade técnicas da área ex: familiaridade com linguagens, Java e node.js.  
  • Objetivo profissional / área pretendida: neste campo coloque de forma breve quais são as suas expectativas profissionais e  a área de atuação ex: buscando por oportunidade de início de carreira como estagiário ou desenvolvedor Junior, estou focado nos estudos de tecnologia back end aplicando em projetos pessoais a um ano.
  • Palavras-chave: é dessa forma que o recrutador vai poder achar seu currículo, elas devem ser colocadas ao longo do texto, de forma que faça sentido, uma dica é pesquisar na vaga e identificar nos requisitos necessários quais são as palavras-chave, exemplo: necessário conhecimento em bancos de dados: SQL Server e MongoDB.

5 itens valorizados em um perfil no LinkedIn

LinkedIn

Perfil no LinkedIn | Imagem: da autora

  

  • Foto profissional: quão profissional está sua foto? Uma dica é usar o Photo Analyzer do Snappr para determinar o desempenho de sua foto do LinkedIn.
  • Título Atrativo: mencionar sua atual posição de trabalho, sua especialidade ou áreas de trabalho que tem afinidade.
  • Resumo: concentre-se no que são informações importantes sobre sua vida profissional que suas conexões e empresas precisam saber, o que você faz, como suas competências podem ajudar as empresas.
  • Experiências profissionais atualizadas: coloque o nome do cargo, da empresa, período de trabalho, cidade e estado, descrição de cargo, principais atividades e ferramentas utilizadas.
  • Perfil visibilidade pública: se sua intenção é ampliar ao máximo a visualização de seu perfil, para ampliar as possibilidades de conseguir uma oportunidade, essa configuração se faz muito necessária.

Como você viu, fazer carreira em TI, pode ser uma escolha muito promissora. 

Agora que você já sabe as principais carreiras tech em destaque no momento e o que precisa fazer para deixar seu perfil mais próximo das oportunidades, o que você está esperando? Corra e se candidate sem medo e se der medo você já sabe, vai com medo mesmo, porque melhor preparado com essas dicas você já está!

E sabia que na Casa do Desenvolvedor você cadastra seu currículo e ele é visualizado por diversas Software Houses parceiras? Cadastre agora pelo link abaixo e você também começará a receber grandes oportunidades diretamente no seu email! 

 

Michele Menezes
Michele Menezes
Formada em Psicologia desde 2017, com MBA em Gestão de Pessoas e Educação Corporativa em 2021, Formação em Tech Recruiter, trabalhando atualmente na TecnoSpeed como Analista de Gestão de Pessoas. Minha missão é atrair os melhores talentos para as tão sonhadas vagas, cuidando para que a empresa tenha o candidato certo na vaga certa e para que o candidato tenha uma jornada incrível até o seu “SIM”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.